Prêmio EDP nas Artes

Visando contribuir para a formação e a valorização de jovens artistas, o Instituto Tomie Ohtake e o Instituto EDP promovem, desde 2009, o Prêmio EDP nas Artes.

A cada ano, o conjunto de ações oferecidas pelo Prêmio busca consolidar uma plataforma de mapeamento e discussão acerca da produção contemporânea, que amplia os espaços e as possibilidades de difusão de novos nomes para a cena artística brasileira

O objetivo é incentivar artistas, de 18 a 27 anos, a reconhecer e fortalecer experiências de diferentes repertórios, linguagens e processos, valorizando a diversidade e expressão de todas as regiões do país.

O Prêmio se desdobra em diversas etapas por, aproximadamente, dois anos. A primeira delas conta com seminários, palestras e atividades realizadas para discussão de portfólio, além de oficinas criativas para formação de público. Em seguida, é aberta a convocatória para envio das inscrições. Uma equipe de seleção, formada por curadores, pesquisadores e artistas, seleciona dez candidatos que são convidados a apresentar seus trabalhos em exposição coletiva no Instituto Tomie Ohtake. Os jurados realizam acompanhamento crítico por meio de visitas aos ateliês dos artistas finalistas, dos quais três são contemplados ainda com residências internacionais.

Em 2017, o Instituto Tomie Ohtake e o Instituto EDP apresentam, pela primeira vez, outra iniciativa do Prêmio EDP nas Artes, a Residência artística na Escola Entrópica. Serão oferecidas bolsas, com passagem e hospedagem (e transporte), para jovens (fora da cidade de São Paulo) que, durante 4 meses, participarão do Programa Integrado da Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake.

 

 

PATROCÍNIO

 

REALIZAÇÃO