Os sentidos do Zaratustra de Nietzsche, hoje
com Peter Pál Pelbart
O curso se propõe à leitura de Assim falou Zaratustra, de Nietzsche, nas suas várias dimensões: filosófica, política, afetiva, estética, existencial. O diagnóstico do filósofo sobre a trajetória descendente da civilização e seu chamamento por uma superação do humanismo caduco parecem cada vez mais pertinentes. Em contrapartida, os antídotos que seus textos sugerem, na sua forma dramática ou poética, são a cada dia mais inspiradores.

Trata-se de explorar sua radicalidade, sua fineza, seu legado, associando-os com pensadores e problemáticas da nossa mais aguda atualidade.

Duração: 4 de agosto a 17 de novembro

Terças-feiras, 17h30 às 19h

VAGAS ESGOTADAS



PETER PÁL PELBART é professor titular de filosofia na PUC-SP. Escreveu principalmente sobre loucura, tempo, subjetividade e biopolítica. Traduziu várias obras de Gilles Deleuze. É membro da Cia Teatral Ueinzz e coeditor da n–1 edições.