Experiências Negras - Lançamento


O projeto Experiências Negras é composto por uma websérie para IGTV, publicações digitais e mesas de debates.

A primeira ação de 2019 será realizada no dia 15 de agosto, das 19h às 21h, e contará com o lançamento do primeiro episódio da websérie, a primeira edição da publicação digital e a mesa redonda Coletivos de artistas negros e negras: projeções para as artes contemporâneas, que contará com a presença de Ina Henrique Dias (Afrotometria), Keyna Eleison (Coletivo TROVOA), Peter de Brito (A Presença Negra) e Andrea Mendes (Pretas Incorporações), e mediação de Luciara Ribeiro (curadora, pesquisadora e arte educadora do Instituto Tomie Ohtake).

 

15 de agosto, das 19h às 21h
ATIVIDADE GRATUITA | SUJEITO À LOTAÇÃO


---

Sobre o projeto Experiências Negras:

O Núcleo de Cultura e Participação do Instituto Tomie Ohtake, por meio da equipe de Ação e Pesquisa Educativa, realiza o projeto Experiências Negras, que visa apresentar debates protagonizados por pessoas negras que atuam em diversas áreas nas instituições de arte e cultura.
A realização do projeto tem origem na mesa de debate O corpo negro na prática educativa de museus e instituições culturais, desenvolvida pelas educadoras Jordana Braz e Luciara Ribeiro como parte da programação do Mês da Consciência Negra, em novembro de 2018.



Sobre os participantes:


Andrea Mendes (coletivo Pretas InCorporações)
Artista visual, professora, além trabalhar com curadoria e produção cultural em projetos expositivos e educativos no estado de São Paulo, envolvendo temáticas como raça, classe e gênero. Andrea se define como "artivista" pesquisando através da performance arte temas como violência de gênero e racismo. Formada em Artes Visuais pela PUC-Campinas, compõe os coletivos Ibaô, Pretas inCorporações, Preta Performance e Núcleo de Consciência Negra Tereza de Benguela.


 

Ina Henrique Dias (Coletivo Afrotometria)
Pedagoga, historiadora, professora e fotógrafa. Faz parte do Coletivo Afrotometria que discute a inserção dos negros no meio fotográfico. Foi uma das vencedoras do Concurso Fotográfico Contra Vistas do Minhocão realizado em São Paulo no final de 2016 e teve como prêmio uma exposição coletiva. Ina participou de exposições junto com o Afrotometria na qual a figura do negro sempre aparece sem estereótipos e como protagonista de suas narrativas.
Foto: ©Tiago Santana


 

Keyna Eleison (Coletivo TROVOA)
Curadora. Pesquisadora, fomento e desenvolvimento em arte. Mestre em História da Arte e especialista em História da Arte e da Arquitetura pela PUC –Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro); bacharel em Filosofia pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Membro da Comissão da Herança Africana para laureamento da região do Cais do Valongo como Patrimônio Mundial (UNESCO). Atualmente curadora da 10 a . Bienal SIART da Bolivia, cronista da revista Contemporary&, e Professora do Programa Gratuito de Ensino da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro. Herdeira Griot e xamãnica, narradora, cantora, cronista ancestral.


 

Peter de Brito (coletivo A Presença Negra) 
Nasceu em Gastão Vidigal-SP em 1967. Tendo concluído dois cursos superiores, transferiu-se para São Paulo, onde se formou em Artes Plásticas pelo Instituto de Artes da UNESP (1997). Ganhador de vários prêmios em exposições coletivas, como o Salão de Artes de Santo André SP (2000 e 2001) e o 39º Salão de Piracicaba SP (2007). Participou de exposições coletivas, como o 4º Prêmio Revelação de Artes Plásticas de Americana SP (2001), 28º Salão de Arte de Ribeirão Preto SP (2003), 15º Salão da Bahia (2008), Casa Triângulo SP – TRANSBORDA (2015), Pina_Estação SP: Metrópole: experiência paulistana (2017). Realizou diversas exposições individuais, como a do Centro Cultural São Paulo SP: Programa anual de fotografias (1998), e as da Galeria Emma Thomas – From Gastão to the world (2008) e Refresh (2013). Coordenador e organizador da feira de fotografia Captura da Luz (2006 e 2007), em suas três edições. Foi o idealizador de A Presença Negra, ação em que afro-brasileiros ocupam galerias e instituições de Arte, em dias de abertura de exposições. Além de sua pesquisa com fotografia e pintura, Peter de Brito se dedica ao desenho. Vive e trabalha em São Paulo.

 

Mediação:

Luciara Ribeiro
Educadora, pesquisadora e curadora independente. Interessa-se por questões relacionadas à descolonização da educação e das artes e pelo estudo das artes não ocidentais, em especial as africanas, afro-brasileiras e ameríndias. É mestra pelo programa de Máster en Estudios Avanzados en Historia del Arte da Universidade de Salamanca e pelo Programa de Pós-Graduação em História da Arte da Universidade Federal de São Paulo. É educadora-pesquisadora no Instituto Tomie Ohtake.
Foto: ©Javier Maillo Martins